sábado, 29 de julho de 2017

Minha Veia


É só a gente fazer as contas dos dias, desse tempo, e da linha história.
Música linda, lindo esse vídeo, a canção, o resgate.
O tempo é sempre nosso guia, ora pra lá ou pra cá!!
E nem termina o vídeo direito, porque é assim, nem tudo termina, vai indo, e não...
https://www.youtube.com/watch?v=WRldsfS9QHE
"Com esta música fagner foi campeão do festival de mpb de 1979"
"Muitas fronteiras à desvendar!!"


quinta-feira, 27 de julho de 2017

Trabalhar, Cansa!!

Trabalhar, Cansa!!

Tinha escrito isso um pouco antes...*
Uma, talvez, poesia:

Fui criada assim:
"O trabalho, enobrece o homem."
E lembrando,
Acordava com a "Rádio Batatinha",
Lá em Minas Gerais,
Com o passar do tempo, o
Zé Betio
"Manhê, manhê, é o Zé Betio. Aguarda Guerino; Joga água nele..."
Depois, foi a Rádio JovemPam
"Tá na hora, na hora, vãobora, vãobora..."
...
Hoje vejo que a hora pode ser amiga,
O tempo pode ser tudo,

Mas, trabalhar sem ser FELIZS,
Nem dá!!!



* momentos antes, umas 22h30, havia, estava mexendo com projeto da Feira Literária.. e tive um insite; e escrevi sobre o trabalho, o tempo, a hora. 
Daíi, escrevi. Mas, nesse ínterim, recebo a msg da Flavinha, dizendo que a mãe falecera. Tristeza total. Uma certa paralisia. ....
Dia 27/07/17... momentos ainda, em choque, de lembrar da minha mãezinha, Veiaaaa DuCRH...DonaLaura.


domingo, 23 de julho de 2017


23/07/17,

Misturado!!


 Lembrei da melância comida nos idos de 73, lá nas terras das minas gerais... Tinha um sabor de "num sei o futuro"...


Vendo o vídeo da AmandaNegraSim, e pensando...
Tudo é brinquedo em meio tanta luta ÁFRIKA Angola Benguela crianças vida aqui elas estava montando a casa delas para brinca e a irmã grita falta o Guaraná

5 Likes, 1 Comments - Amanda NegraSim (@amandanegrasim) on Instagram: “Tudo é brinquedo em meio tanta luta ÁFRIKA Angola Benguela crianças vida aqui elas…
WWW.INSTAGRAM.COM

terça-feira, 18 de julho de 2017

Sala

A Sala
A Sala é aquele local de recepção, de conversas, de sofás, e até de televisão, é da família, de gente, de festas;

A Cozinha
A cozinha é minha, é sua, é nossa. É nela que estou, que sou;
Nela me encontro, me refaço, me festejo, e te vejo;
Em entregas no chão, recostadas nos armários, no fogão, no batente, e no varão (noites inebriantes), 
Nos tijolos dessa nossa construção, com o bombril ligado à televisão, vejo nossa Revolução!!

Inspiração:
"Poemas Presos – Viviane Mosé
A maioria das doenças que as pessoas têm são poemas presos
Abscessos, tumores, nódulos, pedras…
São palavras calcificadas, poemas sem vazão.
Mesmo cravos pretos, espinhas, cabelo encravado, prisão de ventre…
Poderiam um dia ter sido poema, mas não…
Pessoas adoecem da razão, de gostar de palavra presa.
Palavra boa é palavra líquida, escorrendo em estado de lágrima.
Lágrima é dor derretida, dor endurecida é tumor.
Lágrima é raiva derretida, raiva endurecida é tumor.
Lágrima é alegria derretida, alegria endurecida é tumor.
Lágrima é pessoa derretida, pessoa endurecida é tumor.
Tempo endurecido é tumor, tempo derretido é poema.
E você pode arrancar os poemas endurecidos do seu corpo
Com buchas vegetais, óleos medicinais, com a ponta dos dedos, com as unhas.
Você pode arrancar poema com alicate de cutícula, com pente, com uma agulha.
Você pode arrancar poema com pomada de basilicão, com massagem, hidratação.
Mas não use bisturi quase nunca,
Em caso de poemas difíceis use a dança.
A dança é uma forma de amolecer os poemas endurecidos do corpo.
Uma forma de soltá-los das dobras, dos dedos dos pés, das unhas.
São os poemas-corte, os poemas-peito, os poemas-olhos,
Os poemas-sexo, os poemas-cílio…
Atualmente, ando gostando dos pensamentos-chão.
Pensamento-chão é grama e nasce do pé,
É poema de pé no chão,
É poema de gente normal, de gente simples,
Gente de Espírito Santo.
Eu venho de Espírito Santo.
Eu sou do Espírito Santo, eu trago a Vitória do Espírito Santo.
Santo é um espírito capaz de operar o milagre sobre si mesmo"
https://www.youtube.com/watch?v=U5IbJB4GEt0

Dora:
Eu sou de Minas Gerais, eu trago as Minas de amor.
As Minas sou eu, é você, somos nós!
Estão embaixo dos seus pés, Minas, Gerais!
Em todos os locais!
O Amor é capaz de explodir as Minas, Gerais!

sexta-feira, 30 de junho de 2017

VeiaDuCaralho!! - Dona Laura

Quis um novo caderno;
Um novo toque no celular
As coisas ficaram tudo besta

Estou ouvindo a sua voz falando comigo.
Nunca quero perder isso, meu Amor.
Veia do Meu Coração.
Ôô, Veia Ducaralho!!

Você cuidou de tudo com tanto zelo, carinho e amor.
Foi tão graciosa
Cheia de amor, sempre.
E deu a nós toda sua graça e leveza.


Tá doendo tanto.
Mas ao mesmo tempo passa um filme na cabeça
Dizendo que tudo bem.
Porque você parece havia pressentindo isso.
Mas ta doendo.

Sou tão grata.
Deveria ter outra palavra maior ainda que essa
Que pudesse expressar tudo que sinto.
Tudo que passamos juntas.
Você cuidou tanto de mim
Ai Meu Deus, que dor.
Eu Te Amo ontem hoje e amanhã.

Confissão:
Sempre quando pensava em deitar no colo
Era  seu colo que queria deitar.
Era contigo que imaginava afagando meus cabelos.
Ja fez tantos afagos nos meus cabelos.
Porque a Senhora sabia dar carinho,
Dar Amor, sem pedir nada.
Para a Senhora, minha Veia, meu amor, estou ouvindo essa letra, que está transbordando meu coração de tristeza, mas de tantas boas lembranças.

Sangrando - Gonzaguinha
Quando eu soltar a minha voz
Por favor entenda
Que palavra por palavra
Eis aqui uma pessoa se entregando

Coração na boca
Peito aberto
Vou sangrando
São as lutas dessa nossa vida
Que eu estou cantando

Quando eu abrir minha garganta
Essa força tanta
Tudo aquilo que você ouvir
Esteja certa
Que estarei vivendo

Veja o brilho dos meus olhos
E o tremor nas minhas mãos
E o meu corpo tão suado
Transbordando toda a raça e emoção

E se eu chorar
E o sal molhar o meu sorriso
Não se espante, cante
Que o teu canto é a minha força
Pra cantar

Quando eu soltar a minha voz
Por favor, entenda
É apenas o meu jeito de viver
O que é amar

Puxa, nem to com coragem de chorar junto com minha mãe essa dor que to sentindo.
Aí quero ligar mamãe, mas fico com medo porque vamos chorar, e essa dor fica.
19h49, 30/06/17
VeiaDuCaralho!!
Continua esquisito tudo isso.
Tentando.
...
E me perdoa se fui fraca e nem conseguir soltar o meu grito. É que foi tão dilacerante, que cortou a minha voz.
Fica aqui o meu pranto de agora; ele vem carregado de amor por você.
Vem cheio de histórias; de passado; de afagos, de beijos tão carinhosos que talvez nem consiga reproduzir.
Foram tantos os carinhos; e as entregas; e os olhares; e confidências; os soslaios trocados; os amores quase contados.
História de um grande amor, que será eterno.
Daqueles que grudam na gente, e nem se solta; que vai tomando conta do nosso corpo a cada encontro.
E foi acontecendo por ali, lá pelo idos de 1979, e o tempo foi passando;
Que deu tempo de a gente se amar.
E cresceu tanto, que tomou uma forma que nem digo!
Foi ali, uma coisa de umbigo!!
(pormenores? nem digo! Fica comigo, guardado no meu coração, que está todo transbordando de emoção, de rasgar essas frases; de beijar; de abraçar, de querer afagar-te esse tanto tempo, mãezinha do Coração !!).
Essa é a música que estou ouvindo desde quando ...
Música!! Gonzaguinha - Sangrando



sábado, 24 de junho de 2017

A Vida segue seu curso, mesmo sem você



A Vida segue, sempre!!

E você pode ou não estar aqui.

Estando aqui, você pode fazer a diferença hoje, porque amanhã, talvez, nem estará.

Então, a questão do hoje, é deveras relevante.
Mas nem tô dizendo que devemos atropelar, sair aí igual um desembestado.
Né, não!

O hoje é grandioso, tem vinte e quatro horas (mas isso, também é esquisito, por seu dia, pode até ter vinte e oito, dezenove horas, porque, quem marca seu tempo?).

É bom discutir conosco essa relação do fazer, do hoje, e os porques.

Porque também você pode num querer nada. E esse seu nada, pode ser tudo pra você.
Você já tá no mundo, já grandioso.

Por outro lado, pode pensar em deixar legados (ô palavrinha besta, sô).
Mas as palavras te o seu significado, e daí, aquilo que você fizer, vai reverberar (besta, também), em algum canto.

De novo, o que você fez, foi lá pras Minas Gerais (a Jennifer, foi, e tpa feliz). E a história contada dessa amiga, é poética, crescimento, é saber que algo que você fez, serviu pra algo.

Seria, dizer, que, o que se faz, tem retorno?

Que queremos lá no fundinho que nossa voz entoe? Ecoe?
Arriscaria na fala de que por vezes nem se pense tanto assim.
Simplesmente a ação ocorre. E o som da voz.
Falou?
Foi!
Ganha o mundo as suas palavras.
Suas ações!










domingo, 11 de junho de 2017

Microeconomia



Quando penso na Microeconomia, lembro da Economia Local, no seu bairro, na sua região.
Sempre pensei em fortalecer o bairro, fazendo algumas compras, que seja no mercadinho, na quitanda, no sacolão, no pipoqueiro, churrasquinho da rua, material de construção, cabeleireiro e por aí vai.

Tudo bem que você poderia dizer que é mais caro, que não acha tudo que procura, tudo bem!
Ainda assim, gosto disso. É um fomentar aquele espaço que moro, que acredito.
Acredito no meu entorno.

Mas, o vendedor, o comerciante, o trabalhador informal, precisa ter um mínimo de preocupação.
Ele vai se diferenciar de outro; e pode até, ser o melhor daquela região, quiçá, de outro bairro.

Porém, ele não pode oferecer produto vencido, produto estragado, produto que deva permanecer em uma geladeira ligada constantemente, e ele desligar a noite.
É preciso ter esse cuidado com seu cliente.

Você, comerciante local, precisa cuidar, zelar pelos seus produtos, dessa forma, continuaremos a comprar no seu estabelecimento!!




quarta-feira, 7 de junho de 2017

Mãe

Ôh, minha Mãe

Como posso retribuir a tudo que faz por mim?

Sou tão pequena nessa vida.

Acredito que Mãe tem propósito, tem algo mais.

Já até discuti isso com meu amigos/irmãos/ãs.
Nem sei se me entenderam.

Mas tenho que repetir!!

Minha Mãe,

Você faz tudo por mim, e a qualquer momento;
Você faz algo que eu nem imagino fazer;
Você acredita em mim, de qualquer forma;
Você vai à lugares e momentos que, talvez, ninguém, vá, só porque a gente te chamou,]E vai muito feliz, com toda sua energia;
(aqui, lembrei da minha Mãe indo no show de Viola Caipira lá da Casa de Cultura: ela foi sozinha, depois de a gente ter "discutido" que o momento seria bom pra ela ir; que ela iria gostar; e mesmo ela tendo lá seus 79 anos, e ter ido de ônibus; ela foi. E disse depois que foi e voltou feliz. E me pareceu mesmo estar feliz.)

E mãe é assim, elas vão, vão felizes, se dispõem a tudo por nós. (de um tudo!!)

Que posso eu dizer?
Somente a agradecer a minha linda Mãe, Dona Maria, que tanto me ensina a cada dia.

Obrigada, Mamãe!!



terça-feira, 23 de maio de 2017

Diário

Agora, passado esse tempo por aqui, no Blog, as vezes me pergunto qual é o propósito d ele existir.
Tem dia que tenho resposta; tem dia que simplesmente sem sei.

Mas o bom é estar aqui de vez em quando e botar pra fora.

Seja pra contar algo; agradecer; ou, apenas elucubrar.

Se passou mais de um ano, e eu desesperada com contas e contas. E, claro, tudo sempre dá certo. Ms existia aquela agonia mensal.

Ôh coisa ruim é preocupar com conta, viu.

E agora nesse mês, depois de tanto tempo, tô tranquila.

Ufa!!!

Gratidão total a tudo que tenho recebido.

E que eu possa retribuir de alguma forma.

domingo, 9 de abril de 2017

Gratidão!

Deus, obrigada.
Sinto tanto que recebo a sua força no meu corpo.

E agradeço à minha mãe, que, mesmo nem estando tão perto, e por vezes, nos encontramos menos, sempre dá um conselho; sempre me alerta sobre a vida; sempre que me doar o que ela tem.
E nos dias lembro sempre do tanto de força que ela tem e teve nesses anos.

Obrigada também às pessoas amigas, a família que escolhemos pra seguir nosso percurso terreno.
Elxs são paciente; são bravos; dão amor; brigam com a gente.

Só gratidão nesse domingo.

domingo, 19 de março de 2017

Elucubrando!!

É tanta emoção.
Quem consegue passar assim nessa vida 
Sem sentir dor? 
Sem sentir alegria? 
Sem sentir amor?
Sem se emocionar ao ouvir uma música?
Ao encontrar amigx?
Estando num almoço de família?
Uma emoção que lateja dentro do corpo
E que pulsa
Que quer sair
Num grito
Mas que, em muitos momentos, está preso?
São sensações!!
Essa dor e alegria, que se misturam, e cresce a cada dia.
Cresce porque parece que nada podemos fazer mais pelo outro.
E parece que essa alegria, que algumas vezes sentimos, é uma parte egoísta de nossas vidas.
O que fazer com tanta coisa boa na sua vida?
E ver que o outro está precisando de algo?
Um mundo igualitário nem vai existir, sempre falei isso.
Mas, ao mesmo tempo, é muito desumano tantas pessoas que necessitam.
E nessas sensações, parece-nos, nada podermos fazer.
Ou, o pouco que fazemos, é muito pouco.
É preciso mais e mais pensar no outro.
Porque, quem vai sobrar?
Mais amor, mais amor!!
Juntos somos mais fortes!
Mais amor!
Compaixão!

E muita Gratidão!!

(Créditos - ouvindo
Alceu Valença - O Girassol  - https://www.youtube.com/watch?v=QIEnH7cQNqs
Milton Nascimento - Benke -  https://www.youtube.com/watch?v=b8DooDd8F9I)



terça-feira, 17 de janeiro de 2017

Gratidão!

Gratidão!
Por
Ter família
Amigxs irmãos
Irmãos, que são amigxs
Viajar
Estudar:
Longe, perto, noutro País
Aprender
Deixar um amor
Estar com elx
Passar a vida com
E as vezes, nem tanto assim
Ganhar
... um olhar, Oi?, um drops (kk), piscadela,
O pão!!
Que o Danado nem amassou
No bicho?
Mais um dia de vida!
Perder
Seu abraço
O convite p'quela cerveja
O beijo do bom dia
Seu desejo
Minhas pegadas
Gratidão
Por
Nunca perder o senso da
Razão
E perder quase sempre
Uma bela manhã
Dormi
'Preguicei'
 Já foi
E o seu aguilhão 
Te põe no prumo
Gratidão!!
Lembrei dessa música, que me parece erguer, dar força, vejo meus amigxs e família assim.
https://www.youtube.com/watch?v=XxipzhpjytY 

sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

A Morte! (inevitável)



Eu preciso dizer que tenho pavor em falar da morte. Da morte de todas as formas. Da família, principalmente. Mas da morte da forma, do jeito, do momento.

Preciso dizer que quando começamos um assunto que pode levar a esse assunto, eu paro. Paro. Paraliso. Não quero. Posso chegar até disfarçar.Mas paraliso.

Falar da minha, da sua, da nossa, da família? Me deixa inerte. Me emudece. Entende?

E posso falar a fio, horas contigo. Mas estarei total emudecida. Dentro.

Eu preciso chorar rios de lágrimas que nem serão inesgotáveis pra uma pororoca.

Parei. Solucei. Ouvi uma música do Luiz Melodia. E o som da dor ainda continua. Mais leve, confesso. Mais distante.

Distante porque nem sabemos em que momento irá acontecer. Mais vai.

E esse momento vai acontecer e isso é que é foda. Porque ele vai vir. E de verdade.

Minha irmã e Eu falamos desse assunto? Não, não falamos!! Nadinha!

E esse fato permeia, está de espreita. Nos rodeia. A todos nós.

Querem minha confissão do quê? Quem? Da família, porra!!

Chega!!

13/01/0017, 21h20, após papear gostosamente com minha irmã, Kika!!

(digo que foi uma tarde muito gostosa, e papeamos muito mais sobre os amigos)